Foi na manhã desta sexta-feira (28), o decreto oficial por parte do prefeito Sérgio Azevedo, de Calamidade Financeira em Poços de Caldas. Toda a imprensa foi convocada, e na oportunidade ele apontou os principais problemas que agravaram a situação econômica.

Já havia sido decretada situação de emergência durante um período restrito (até dia 31 de dezembro), porém em reunião realizada em Belo Horizonte-MG, o prefeito em contato com o governador eleito Romeu Zema, decidiu por continuar com a restrições econômicas e decretar calamidade.

Segundo o chefe do executivo, várias medidas ainda serão anunciadas, para redução de gastos. “A comissão que já foi criada, irá elaborar uma reforma administrativa que trará uma série de medidas para redução de gastos. Obras não serão iniciadas, e serão revistos cargos comissionadoa hoje em Poços. Tudo será feito, mas com objetivo em não diminuir a qualidade do serviço prestado.” Aponta o prefeito Sérgio Azevedo.

Em entrevista o Secretário de Governo, Celso Donato, afirmou que serviços essenciais são prioridade, e serão mantidos, pelo menos a curto prazo. “Educação e saúde são e sempre serão prioridade. Utilizaremos nosso caixa para manter esses serviços e se necessário com a verba que economizarmos, destinaremos a estas duas pastas”.

O prefeito aponta ainda que se os repasses do governo forem feitos, a situação será imediatamente normalizada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here